Hospital São Camilo recebe capacetes respiratórios da Findes

Com foco no atendimento humanizado e com o objetivo de ampliar e potencializar as ações voltadas para a área da humanização, cuidando dos pacientes com amor e respeito

A Fundação Hospital Maternidade São Camilo recebeu a doação de sete kits de capacete do tipo Elmo – um mecanismo de respiração artificial não invasivo, utilizado em pacientes infectados pela Covid-19 com insuficiência respiratória. Os equipamentos foram doados pela Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), por meio do movimento Indústria do Bem, após o setor de captação de recursos do hospital pleitar os kits, em 2020.

A entrega foi realizada, no auditório do hospital, nesta quarta-feira (19), e contou com a presença do diretor executivo do São Camilo, Wellington Giacomin e do comercial, marketing e captação de recursos da instituição Cláudio Amorim. Também estiveram presentes o prefeito de Aracruz Dr Coutinho, o vice-prefeito Beto Vieira e o diretor regional da Findes João Depizzol.

De acordo com Wellington, a doação vai contribuir no tratamento dos pacientes. “Em nome do São Camilo agradecemos a doação desses equipamentos, que evitam uma intubação precoce. Tudo o que recebemos é muito bem-vindo. São contribuições para dar mais dignidade no tratamento dos pacientes”, disse.

Segundo Cláudio, a iniciativa releva a importância da solidariedade e diálogo entre setores da sociedade para viabilizar ações de impacto positivo nas comunidades. “Nossa gratidão aos representantes da Findes e ao representante da Confederação Nacional das Indústrias (CNI) Luís Soares Cordeiro”.

Já Depizzol destacou a contribuição com a instituição durante a pandemia. “Desde o início da pandemia o sistema Findes vem contribuindo com a doação de vários equipamentos ao hospital e agora, com a segunda onda, entendemos a necessidade da colaborar. Estamos sempre unidos para a melhoria da saúde da população e a segurança dos trabalhadores”, declarou.

Capacetes Elmo
Criado no Ceará, durante a pandemia, o capacete fica acomodado ao pescoço do paciente e permite ofertar oxigênio a uma pressão definida ao redor da face, sem necessidade de intubação. Dessa forma, a pessoa consegue respirar com auxílio da pressurização e oferta de oxigênio. O sistema possibilita, portanto, a melhora na respiração e pode ser utilizado fora de leitos de UTI.

O equipamento pode ser desinfectado e reutilizado. Outro benefício é o custo inferior em relação aos respiradores mecânicos e a maior segurança para os profissionais de saúde, já que, por ser vedado, não permite a proliferação de partículas de vírus.

Além disso, o equipamento será um legado da pandemia para a saúde e pode tratar outras enfermidades que comprometem o funcionamento dos pulmões, como pneumonia e H1N1. Se o Elmo era o nome do capacete que garantia a proteção dos guerreiros medievais, nos tempos atuais irá proteger e preservar a vida de pacientes na batalha contra a Covid-19.

Com informações da Prefeitura de Aracruz e Secretaria da Saúde do Ceará

Deixe uma resposta